História da Gulfstream

Pioneirismo em aviação executiva

Toda a aviação executiva, independentemente do fabricante, tem suas raízes na Gulfstream.

Roy Grumman, cofundador da Grumman Aircraft Engineering Corporation, no final da segunda guerra mundial, propôs o desenvolvimento de uma aeronave desenvolvida para a finalidade específica de voos executivos. Ele vislumbrou aproveitar o conhecimento da empresa na construção dos robustos aviões de guerra Grumman para criar aeronaves menores que pudessem facilitar o crescimento econômico do pós-guerra. Treze anos mais tarde, Grumman lançou o Gulfstream I, uma aeronave que revolucionou a aviação em geral e assegurou à empresa uma posição de prestígio que preparou o caminho para as outras seguirem.

Marcos históricos do voo da Gulfstream

A reputação da aeronave Gulfstream tem aumentado graças à sua excelência década após década. O foco na inovação e o compromisso com o atendimento ao cliente se refletem em um histórico de pioneirismo do setor, aeronaves que batem recordes, inovação tecnológica, iniciativas de serviço e suporte globais e uma carteira de clientes em expansão em todo o mundo. Na Gulfstream, nossa história define nosso futuro.

O primeiro voo do GI

14 de agosto de 1958 – Voo inaugural do Gulfstream GI

O Gulfstream I apresentou ao mundo a aeronave executiva desenvolvida para esta finalidade específica. A aeronave tinha motores turboélices posicionados acima das asas baixas. O GI voava até Mach 0,53 a 10.241 m (33.600 pés), com um alcance de 4.704 km (2.540 mn). A cabine acomodava até 12 passageiros quando configurada como aeronave executiva. O primeiro voo do GI ocorreu em 14 de agosto de 1958, passando a ser utilizado comercialmente em 1959. Durante um ciclo de produção de 11 anos, a Gulfstream fabricou mais de 200 aeronaves Gulfstream I, muitas das quais ainda estão em serviço até hoje.

O primeiro voo do GII / Primeira travessia do Atlântico com o GII

2 de outubro de 1966 – Voo inaugural do Gulfstream GII
4 de maio de 1968 – O Gulfstream GII é o primeiro jato executivo a cruzar o Oceano Atlântico sem escalas

O Gulfstream GII proporcionou aos passageiros executivos a capacidade de atravessar a América do Norte ou o Oceano Atlântico sem escalas. Os esforços de design começaram em 1960 com o empenho dos engenheiros em criar um Gulfstream a jato. Os motores a jato foram fixados na parte traseira da fuselagem, e a cauda foi modificada, passando a ter uma configuração em T. As asas foram inclinadas para trás com o objetivo de aumentar o alcance e a altitude. A aeronave voava até Mach 0,88 a 13.761 m (45.000 pés) com um alcance de 6.815 km (3.680 mn). A cabine acomodava até 19 passageiros em configuração exclusiva de jato executivo. O GII tornou-se o primeiro jato executivo a voar sem escalas dos Estados Unidos à Europa no dia 4 de maio de 1968. Foram vendidos mais de 250 GIIs durante o ciclo de produção das aeronaves, incluindo duas variantes: uma com tanques na ponta das asas para aumentar o alcance e outra com uma nova asa e winglets para melhorar o desempenho.

Produção em Savannah

29 de setembro de 1967 – A produção da Gulfstream muda-se para sua unidade em Savannah, Geórgia

Em 1967, Grumman transferiu as operações da Gulfstream para Savannah, Geórgia, com a finalidade de separar seu negócio de fabricação de aeronaves em divisões militares e civis, bem como para aumentar a eficiência. Os motivos indicados pelos diretores para escolher Savannah como a sede permanente da Gulfstream foram o fornecimento de mão de obra, disponibilidade de terras, facilidades de transporte e condições meteorológicas favoráveis.

Simuladores do ônibus espacial da NASA

1973 – A NASA adquire dois Gulfstream GIIs como simuladores do ônibus espacial

A NASA começou a treinar as tripulações dos ônibus espaciais no Gulfstream GII. Grumman modificou a aeronave para simular as características de voo de um ônibus espacial durante uma sequência de pouso, adicionando reversores de propulsão durante o voo, flaps de elevação direta e geradores de força lateral à parte externa bem como reprojetando a lateral esquerda da cabine de comando para deixá-la parecida com a cabine de pilotagem de um ônibus espacial.

O primeiro voo do GIII / O GIII nos dois Polos

2 de dezembro de 1979 – Voo inaugural do Gulfstream GIII
Novembro de 1983 – O Gulfstream GIII torna-se o primeiro jato executivo a voar sobre os dois polos

O Gulfstream GIII ampliou os limites de seu antecessor, o Gulfstream GII. O GIII podia percorrer 6.964 km (3.760 mn) com o novo design das asas, além do acréscimo de novos winglets, o que resultou na melhoria de 23% de eficiência de combustível. O primeiro voo do GIII foi realizado em 2 de dezembro de 1979, passando a ser utilizado comercialmente no final de 1980. Mais de 200 GIIIs foram comercializados entre 1980 e 1986.

O primeiro voo do GIV

19 de setembro de 1985 – Voo inaugural do Gulfstream GIV

O Gulfstream GIV revolucionou a aviação executiva com seu alcance intercontinental, a cabine de comando avançada e sua tecnologia de cabine. Motores de última geração combinados com asas grandes, porém leves, deram ao GIV um alcance de 7.964 km (4.300 mn) e uma velocidade de cruzeiro de Mach 0,88. A cabine de comando do GIV foi a primeira da aviação civil a ter computadores com gerenciamento digital de voos, aumentando a eficiência do combustível e, simultaneamente, reduzindo a carga de trabalho dos pilotos. Era a primeira vez que uma cabine contava com comunicações via satélite. O primeiro voo do GIV foi realizado em 19 de setembro de 1985, passando a ser utilizado comercialmente em agosto de 1987. A Gulfstream produziu uma versão atualizada, o Gulfstream GIV-SP, a partir de 1993. Mais de 500 GIVs e GIV-SPs foram vendidos.

Inauguração da ITF

25 de fevereiro de 1995 – A Gulfstream inaugura a primeira Unidade de Testes de Integração

A Gulfstream construiu uma Unidade de Testes de Integração (ITF) para o Gulfstream GV, a qual incluía uma cabine de comando simulada do GV que permitia a realização de testes de aviônicos e outros sistemas eletrônicos, bem como a análise de fatores humanos enquanto a aeronave estava em desenvolvimento. Posteriormente, a Gulfstream criou ITFs semelhantes para o Gulfstream G280, o Gulfstream G450, o Gulfstream G550 e o Gulfstream G650.

O primeiro voo do GV / Troféu Collier para o GV

28 de novembro de 1995 – Voo inaugural do Gulfstream GV
Maio de 1997 – O Gulfstream GV recebe o prestigiado Troféu Robert J. Collier concedido pelos avanços em seu projeto e nas técnicas de fabricação

O Gulfstream GV introduziu a categoria dos jatos de alcance ultralongo na aviação executiva. O GV voa até Mach 0,90 e a 15.545 m (51.000 pés) de altitude, percorrendo 12.038 km (6.500 mn) ou o suficiente para voar sem escalas de Nova York a Tóquio. A Gulfstream estreou seu Head-up display (HUD) na cabine de comando do GV, além de deixar a cabine de passageiros conectada, transformando-a em um escritório computadorizado. Normalmente, o GV acomoda quatro tripulantes e 14 passageiros na configuração executiva. O primeiro voo do GV foi realizado em 28 de novembro de 1995, com entrada em serviço em junho de 1997. Mais de 190 GVs foram entregues.

Aquisição pela General Dynamics

30 de julho de 1999 – A General Dynamics adquire a Gulfstream Aerospace

A gigante do setor de defesa, General Dynamics, adquiriu a Gulfstream Aerospace por US$ 5,3 bilhões em 1999. Antes, a empresa adquiriu outro fabricante de aeronaves e também produziu caças F-16 para as Forças Armadas dos Estados Unidos. A General Dynamics fez da Pesquisa e Desenvolvimento uma prioridade.

Galaxy Aerospace

1º de maio de 2001 – A Gulfstream adquire a Galaxy Aerospace e rebatiza as aeronaves de médio porte da Galaxy como G100 e G200

A Gulfstream adicionou aeronaves de médio porte à sua frota com a Galaxy Aerospace. A Gulfstream remodelou os dois aviões executivos da Galaxy de médio porte: o Galaxy e o Astra SPX, rebatizando-os como Gulfstream G200 e Gulfstream G100, respectivamente. Esses jatos têm um alcance que permite cruzar continentes e oferecem uma cabine bastante confortável.

Programa de serviços APS / Programa FAST

7 de maio de 2002 – A Gulfstream lança o Programa de Suporte ao Produto por Via Aérea
16 de maio de 2011 – A Gulfstream introduz as Equipes de Apoio em Solo e Aéreo (FAST)

O Programa de Suporte ao Produto por Via Aérea (APS) estabeleceu um novo padrão de atendimento aos clientes do setor de aviação. A Gulfstream transformou um Gulfstream G100 em uma aeronave de peças e reparos para os técnicos de serviços de transporte consertarem aeronaves com garantia válida em qualquer lugar na América do Norte ou do Caribe. A demanda por esse serviço aumentou, e ele passou a incluir também a América Central. A Gulfstream disponibilizou o serviço móvel para todo o mundo em 2011 com o lançamento das Equipes de Apoio em Solo e Aéreo (FAST). Os técnicos da FAST realizam os serviços se locomovendo via aeronaves, trens, automóveis ou vans.

O primeiro voo do G550

18 de julho de 2002 – Voo inaugural do Gulfstream G550
2003 – O GULFSTREAM G550 RECEBE O PRESTIGIADO TROFÉU ROBERT J. COLLIER POR SEUS AVANÇOS EM DESIGN, TESTES E ESTRUTURA QUE COMBINAM MELHORIAS MENSURÁVEIS DE SEGURANÇA E AMPLOS AVANÇOS NA TECNOLOGIA AEROESPACIAL

O Gulfstream G550 revolucionou a experiência dos pilotos na aviação executiva. A aeronave apresentou a nova cabine de comando PlaneView. A PlaneView integra diversos aviônicos, incluindo câmera de infravermelho que revela o terreno e as luzes da pista em condições de baixa visibilidade, conhecidas como um Sistema de Visão Aprimorada (EVS). O G550 era tão avançado em termos tecnológicos, que recebeu, em 2003, o Troféu Robert J. Collier, o mais prestigioso prêmio do setor aeroespacial da América do Norte. O G550 também aumentou o alcance de viagens executivas muito longas, ligando cidades ao redor do mundo, como Seul e Orlando (Flórida), Washington D.C. e Dubai, e Tóquio e Paris. O G550 acomoda quatro tripulantes e até 18 passageiros. O primeiro voo do G550 foi realizado em 18 de julho de 2002, entrando em serviço em 2003.

O primeiro voo do G450 / O G450 com biocombustíveis

30 de abril de 2003 – Voo inaugural do Gulfstream G450
22 de junho de 2011 – O Gulfstream G450 é o primeiro jato executivo a cruzar o Oceano Atlântico utilizando biocombustíveis

O Gulfstream G450 incorporou os avanços tecnológicos do Gulfstream G550 na fuselagem do popular Gulfstream GIV. A Gulfstream integrou o aviônico PlaneView à cabine de comando e reprojetou as asas para reduzir o arrasto e permitir maior capacidade de combustível. O G450 acomoda de 12 a 16 passageiros, dependendo da configuração executiva. O primeiro voo do G450 foi realizado em 30 de abril de 2003, e a aeronave entrou em serviço em maio de 2005.

O primeiro voo do G150

3 de maio de 2005 – Voo inaugural do Gulfstream G150

O Gulfstream G150 redefiniu o conforto e a eficiência em jatos de médio porte. A aeronave que possui capacidade de seis a oito passageiros tem cabine ampla, melhor velocidade e eficiência em combustível de seu segmento, além de um alcance que permite cruzar os EUA de costa a costa. O G150 tem uma autonomia de 5.556 km (3.000 mn) a Mach 0,75 com velocidade máxima de Mach 0,85. O primeiro voo do G150 foi realizado em 3 de maio de 2005, e a aeronave entrou em serviço em agosto de 2006.

Inauguração do Centro de P&D

19 de maio de 2006 – A Gulfstream inaugura o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (RDC) de Savannah

A Gulfstream Aerospace expandiu sua sede de Savannah, Geórgia, para incluir um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento. O projeto fez parte de um plano de expansão de US$ 400 milhões. O RDC é composto de funcionários dos setores de engenharia, fabricação, planejamento, suporte ao produto e materiais.

Quiet Spike

23 de outubro de 2006 – O Quiet Spike da Gulfstream torna-se supersônico

O revolucionário Quiet Spike™ é destaque na pesquisa constante da Gulfstream em voos supersônicos. O dispositivo telescópico se encaixa no nariz da aeronave e espalha as ondas de choque supersônicas ao longo da haste de 24 pés e da fuselagem para minimizar os efeitos da quebra da barreira do som. A NASA testou o Quiet Spike em voo pela primeira vez em 2006, instalado em um caça F-15 modificado.

Visão Sintética (SV-PFD)

28 de janeiro de 2008 – A Gulfstream lança o sistema Synthetic Vision-Primary Flight Display

O Synthetic Vision-Primary Flight Display reforça a segurança dando aos pilotos uma visão artificial do ambiente à frente. O SV-PFD obtém dados de sistemas de alerta de proximidade com o solo para produzir imagens tridimensionais coloridas do terreno, obstáculos, pistas e aproximações. A Gulfstream anunciou seus planos para o SV-PFD em 2006 e lançou o sistema em 2008.

O primeiro voo do G650 / Entrada em serviço do G650

25 de novembro de 2009 – Voo inaugural do Gulfstream G650
Dezembro de 2012 – O Gulfstream G650 entra em serviço como o jato executivo mais rápido do mundo
2013 – O Gulfstream G650 recebe o prestigiado Troféu Robert J. Collier por seus significativos avanços tecnológicos em desempenho da aeronave, conforto da cabine e segurança

O Gulfstream G650 estreou como a aeronave mais avançada da aviação executiva. A aeronave pode percorrer 12.964 km (7.000 mn) com sua altitude de cruzeiro de 15.545 m (51.000 pés) e velocidade de cruzeiro de Mach 0,85. O G650 tem velocidade operacional máxima de Mach 0,925. A cabine do G650 possui o volume de 60,54 m³ (2.138 pés) e é realçada por 16 grandes janelas panorâmicas. O G650 acomoda até 18 passageiros em até quatro ambientes diferentes. O primeiro voo do G650 foi realizado em 25 de novembro de 2009, e o jato em serviço em dezembro de 2012 como a aeronave civil mais rápida do mundo.

O primeiro voo do G280 / Entrada em serviço do G280

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009 – Voo inaugural do Gulfstream G280

O Gulfstream G280 redefiniu o padrão da classe de aeronaves supermédias. O G280 tem alcance intercontinental e uma velocidade de cruzeiro igual às aeronaves de longo alcance utilizando até 12% menos combustível do que seus concorrentes. Os recursos da cabine incluem uma ferramenta de gerenciamento e um compartimento de bagagem acessível durante o voo. A Gulfstream incorporou a cabine de comando PlaneView ao G280 e equipou a aeronave com sistemas de frenagem e controle de potência automáticos (autobrake e autothrottle). O G280 acomoda de 8 a 10 passageiros nas configurações executivas. O primeiro voo do G280 foi realizado em 12 de dezembro de 2009, e o modelo entrou em serviço em novembro de 2012.

G650 bate o recorde mundial

3 de julho de 2013 – O Gulfstream G650 bate o recorde mundial de voo de volta ao mundo em sentido oeste, com duração de 41 horas e 7 minutos

O Gulfstream G650 bate o recorde mundial de velocidade de circum-navegação em sentido oeste, com 41 horas e 7 minutos, além de recordes de velocidade em outras rotas entre 22 pares de cidade. O voo de 20.310 mn começou e terminou em San Diego (Califórnia), com escalas em Guam, Dubai e Cabo Verde. O G650 percorreu cada trecho a Mach 0,90, o padrão da aeronave para velocidade rápida de cruzeiro.

Anúncio do G650ER

19 de maio de 2014 – A Gulfstream apresenta o G650ER

O Gulfstream G650ER aumenta o alcance sem escalas das viagens de negócios para 13.890 km (7.500 mn). Antes de seu lançamento, o carro-chefe da Gulfstream fez conexões entre algumas cidades importantes como, por exemplo, de Hong Kong a Teterboro (Nova Jersey) e de Los Angeles a Melbourne (Austrália). O início das entregas está programado para o primeiro trimestre de 2015.

Os novos G500 e G600 são anunciados

14 de outubro de 2014 – A Gulfstream apresenta a nova frota de aeronaves

Os novos Gulfstream G500 e G600 estabelecem-se como referências em suas categorias pelas características de desempenho otimizado, design de cabine e tecnologia que apresentam. Esses modelos voam mais longe e mais rápido do que qualquer outra aeronave, sem sacrificar o conforto, com suas cabines largas e que esbanjam estilo. A Gulfstream foi além nos modelos G500 e G600 equipando-os com o sistema Gulfstream Symmetry Flight Deck™ com telas sensíveis ao toque, sidesticks de controle ativo e controles de voo Intelligence-by-Wire™.

O G650ER entra em serviço

14 de novembro de 2014 – Início das entregas do novo carro-chefe da Gulfstream

O Gulfstream G650ER aumenta o alcance sem escalas das viagens de negócios para 13.890 km (7.500 mn). Antes de seu lançamento, o carro-chefe da Gulfstream fez conexões entre algumas cidades importantes como, por exemplo, de Hong Kong a Teterboro (Nova Jersey) e de Los Angeles a Melbourne (Austrália). O G650ER tem velocidade operacional máxima de Mach 0,925 e capacidade para acomodar até 18 passageiros em até quatro ambientes diferentes.

Gulfstream G500

18 de maio de 2015 – Voo inaugural do Gulfstream G500

O Gulfstream G500 abre uma nova era na tecnologia da cabine de comando com o Symmetry Flight Deck™ e apresenta um design simplificado e otimizado, garantindo o melhor desempenho e conforto da categoria. A aeronave oferece o alcance máximo de 9.260 km (5.000 mn), chega a Mach 0,90 e tem a velocidade operacional máxima de Mach 0,925. O G500 acomoda até 19 passageiros em três ambientes e ostenta o revolucionário sistema Symmetry Flight Deck™, com os primeiros sidesticks de controle ativo do setor e controles de aviônicos em telas sensíveis ao toque. O modelo está previsto para entrar em serviço no início de 2018.

Saiba mais sobre as aeronaves pioneiras

Gulfstream G650

Gulfstream G650

Graças ao G650, cidades que antes eram consideradas distantes, agora compartilham o mesmo dia de trabalho e com a menor altitude de cabine pressurizada entre todas as aeronaves executivas. Os passageiros chegam ao destino se sentindo renovados e prontos para as oportunidades que os aguardam.

Gulfstream G150

Gulfstream G150

Acorde cedo em Nova York e esteja em Los Angeles para o almoço. No Gulfstream G150, uma viagem de costa a costa dos EUA leva menos de seis horas a Mach 0,80.

Gulfstream G280

Gulfstream G280

Maior alcance e capacidade de subida rápida e potente são duas das maneiras pelas quais o Gulfstream G280 supera as metas originais de seu projeto e contribuem para o desempenho líder de classe.

Gulfstream G450

Gulfstream G450

A funcionalidade é um pilar do Gulfstream G450. Essa é uma aeronave que oferece mais carga útil, mais configurações de cabine e possui uma cabine de comando equipada com sistemas de orientação avançados, alguns que não estão sequer disponíveis fora da frota da Gulfstream.